Um gato da raça Maine Coon

O Maine Coon é um dos maiores gatos domésticos do mundo. É apelidado de “gigante gentil”, e as pessoas são fascinadas por seu tamanho e enfeitiçadas por sua beleza. Amigável e sociável, o mistério envolve suas origens, sem que haja documentação oficial disponível para comprovar algo confiável, há apenas boatos e mais boatos. O nome vem de duas palavras:  a primeira é Maine, o Estado dos EUA onde ele se originou, declarado a raça oficial do Estado em 1985, depois de ter recebido outros nomes (Coon Cat, Maine Cat, Maine Shag, American Longhair, etc.);  e a segunda é Coon, que ninguém sabe de onde vem exatamente: uns falam que ele surgiu do cruzamento de um gato com um guaxinim (‘Racoon’, em inglês); algumas histórias falam do capitão Charles Coon, que no século XIX teria gatos de pelo longo em seu navio para controlar ratos e, tendo desembarcado no Maine, passou a cria-los ali; outros falam de gatos que vieram da Noruega com os vikings que desembarcaram na América por volta do século XI, dada a semelhança entre os Maine Coons e Norwegian Forest Cats; outro boato diz que, em meio à Revolução Francesa, os gatos da condenada Marie Antoinette foram carregados em um barco em La Havre com destino ao Maine, tendo ela sido decapitada antes de se juntar a eles, que eram da raça Angorá turco, também muito semelhantes aos Maine Coons. Uma exposição competitiva em 1895 em Nova Iorque consagrou a raça nos EUA, mas eles foram declinando em popularidade até serem prematuramente declarados extintos em 1950, mas, com a formação do Central Maine Cat Club (CMCC) nesse mesmo ano, a sua popularidade foi novamente crescendo, e os primeiros padrões oficiais da raça foram escritos.

Características principais

Como as pessoas são fascinadas por seu tamanho, os criadores têm usado técnicas para produzir espécimes maiores, acasalando machos e fêmeas maiores. Um gato dessa raça tem entre 25,40 cm até 40,60 cm. Seu peso oscila entre 4 kg(fêmeas mais leves) e a 11 kg (machos maiores), desde que não alimentados demais (o teste é simples: apalpar o dorso – costelas muito à vista, um pouco magro; não se veem costelas, já com excesso de peso). Suas pontudas orelhas lembram as de um lince, seu focinho é comprido e largo, os olhos grandes e em formato amendoado podem ser verdes ou âmbar. Eles têm maçãs do rosto altas e bem definidas, para um rosto bastante quadrado. São gatos robustos e musculosos, com ossos grandes, peitos largos e corpos retangulares. Eles têm pernas longas e grandes patas peludas, perfeitas para espalhar seu peso ao caminhar na neve. Seu espesso pelo longo e sedoso é impermeável praticamente à água e à neve, crescendo bem mais no dorso e nas laterais que nas patas, nos ombros, no rosto e no topo da cabeça, mas mantêm uma vistosa juba como a de um leão. Sua cauda também é imensa como o corpo e de pelagem super vistosa, mais larga na base, afunilando-se até a ponta. É um verdadeiro luxo, talvez a raça que mais levou o ser humano a associar os termos ‘gato’ e ‘gata’ a pessoas de ótima aparência. Ele pode ter até 75 tipos de pelagem diferentes, que vão de cores sólidas puras (preto, branco, vermelho, azul-acinzentado, creme), sólidas com nuances (de preto, azul, vermelho, creme e alguns tons com nomes específicos), serem malhados (com várias combinações e predominâncias de tons) e bicolores, um verdadeiro espetáculo de variedade. São tão sociáveis e apegados que muitos donos acham até que adquiriram um cachorro ao adotar um Maine Coon, além de serem amigáveis com outros gatos e animais de outra espécie, também com crianças. Pelo tamanho, não são lá muito de colo, mas com o tempo vão-se aninhando com os donos e, surpreendentemente para seu porte, costumam ter tons de miado bem agudos. Precisam obviamente de muito espaço e bastante enriquecimento ambiental para manterem-se ocupados, mas não costumam ser agitados. Adoram um banho, alguns até nadam.

Dieta e cuidados com a saúde

O cuidado com a pelagem do Maine Coon deve ser muito intenso, porque ele pode engolir os pelos e sofrer com embaraços, por ser sua pelagem muito abundante. Quanto à saúde, costumam ser saudáveis, mas têm propensão genética às seguintes doenças: cardiomiopatia hipertrófica felina, que é uma doença incurável; atrofia muscular espinhal (específica da raça, detectada por exame de DNA); displasia dos quadris; e doença renal policística. O grandão não pode, por ser de porte avantajado, comer demais. A ração para filhotes é aconselhável até 2 anos, quando cessa seu crescimento (há alguns que continuam até os 4 anos, é bom sempre consultar um criador experiente sobre essa questão). Seu peso máximo, para um tamanho já avantajado de macho, é de 11 kg, e 7 kg para as fêmeas. Após a castração, os cuidados com a alimentação devem ser imensos para não chegarem os bichanos à obesidade, o que, para essa raça, não é uma coisa difícil. Não se preocupe: o Maine Coon ele pode viver num apartamento, porque não é tão ativo, mas pode passear, sim, porque gosta de dar suas voltinhas e precisa, sim, como todo gato, de enriquecimento ambiental. É importante acrescentar à dieta proteínas, por causa da pelagem que precisa ser regenerada, papel para o qual as proteínas são importantíssimas; também fibras e probióticos, para excelente funcionamento de seu trato digestivo.


Gostou? Compartilhe com os seus amigos!