PERFIL DA RAÇA:

A raça AKITA INU JAPONÊS vem do JAPÃO! E possui um porte grande com tamanho entre 55 centímetros e 78 centímetros.

Seu peso variando entre 25 quilos e 35 quilos, aproximadamente.

E a expectativa de vida deles é de dez a doze anos, em média.

O espaço recomendado pra ele é de médio pra grande e mesmo não sendo o ideal, e ele se adapta bem a apartamentos (mas, com outros muitos cuidados adicionais, então vale refletir bastante sobre essa escolha se você mora em apartamento)

Já as suas cores podem ser vermelho, Sésamo, Tigrado e Branco.

E falando da pelagem ela pode ser considerada média  com pelo duro e sub pelo macio e oleoso, o que torna sua pelagem como se fosse a prova d’água e equilibra bem sua temperatura corporal.

Mas, mesmo assim, sempre recomendamos abrigar o animal de climas extremos, como muito frio ou muito calor!

E se você escovar os pelos do Akita uma vez por semana já é o suficiente, mas é importante que você saiba que ele solta muito mas muito pelo na época de troca! É igual ao Husky, você vai ver pelos por todo lugar.

Outra curiosidade dessa pelagem é que não seca facilmente, então não é recomendado dar banho com frequência, uma vez por mês, ou até mais tempo, já resolve e as unhas precisam ser aparadas regularmente, como a maioria dos cachorros!

TEMPERAMENTO / PERSONALIDADE / COMPORTAMENTO:

O temperamento do akita é calmo e dócil, mas devido à sua origem de cão de caça ele tem um instinto muito protetor.

Sim, ele é muito inteligente, mas pode ser dominante e ter tendência à agressividade, por isso, não costuma ser recomendado pra pessoas que nunca tiveram um cachorro.

Não é um cachorro que costuma latir muito e costuma se dar bem com pessoas de todas as idades, mesmo assim, dificilmente vai se importar com estranhos. Já com cachorros do mesmo sexo ele pode ser um pouco defensivo.

E voltando para os humanos: quando ele for interagir com crianças, é recomendado que seja feita de forma vigiada, pois ele pode achar que alguma brincadeira delas é briga e pode tentar se defender e acabar machucando o pequeno humano.

Aí também precisamos falar que ele não é um cão especialmente carinhoso e brincalhão, pois ele demonstra seu amor com sua proteção – ele não vai ser que nem um Golden, por exemplo, apesar de ter essa carinha fofa de ursinho.

Então se você procura um cão com jeito de criança, todo animado e cheio de energia, talvez o Akita não seja a opção pra você…

Principalmente se você trabalhar o dia todo fora e deixar ele sozinho por muito tempo, pois ele pode ficar agressivo e com tendência antissocial.

EXERCÍCIOS:

Para o akita os exercícios são especialmente importantes. Por ser um cachorro com tendência à agressividade, ele precisa de exercício regular e de atividades diferentes de enriquecimento ambiental em casa.

Pois é, não tem como deixar de passear por pelo menos, quarenta e cinco minutos a uma hora com ele todos os dias, mas só caminhar mesmo, pois o Akita não costuma gostar de esportes radicais ou atividades de grande agitação.

ADESTRAMENTO:

Se ele precisa de adestramento? Precisa sim! Principalmente por ser um cão com instinto de proteção e de porte médio a grande, ele vai querer ser o chefe pra afastar o perigo de todos.

Então será necessário um adestramento para que ele saiba que está tudo bem e pra que seja educado e tranquilo.

HISTÓRIA:

No Japão é tudo muito tradicional, eles valorizam muito isso.  Só pra vocês entenderem, o Akita Inu foi o primeiro cachorro considerado patrimônio natural do Japão.

Mas vamos lá pra trás, para o início da história deles.

A maioria das raças do Japão era de pequeno e médio porte, então não se viam cachorros grandes.

E lá na região de Akita, desde 1603, mais ou menos, existiam cães de tamanho médio, chamados de Akitas Matagis. Eles eram usados pra caça de ursos e cães de combate.

Aí, a partir de 1878, eles foram cruzados com o Tosa Inu e o Mastiff, o que aumentou o tamanho padrão desses cachorros.

Em 1988, foi proibido o uso deles pra combate (as conhecidas rinhas) e a raça foi sendo aperfeiçoada e preservada.

Até que 1931 nove exemplares foram reconhecidos como patrimônios históricos.

Mas, veio a segunda guerra mundial e, infelizmente, era comum usarem cães pra fazer casacos de peles pra militares e todos os cães foram confiscados pelo exército.

E muita gente tentou burlar esse decreto cruzando os Akitas com o Pastor Alemão (única raça poupada por seu reconhecido trabalho de campo), ou soltando seus cães nos bosques.

Quando a guerra acabou, pouco tinha restado da raça e o que tinha era uma confusão de Akitas: o Matagi (lá do começo), o de combate e o cruzado com pastor alemão.

Os criadores especializados lá do começo, não aceitaram essas misturas e começaram o trabalho pra resgatar a raça, como ela é conhecida hoje.

Aí com o passar dos anos, também ficou o chamado Akita Americano, que veio do Japão, mas foi desenvolvido nos Estados Unidos, pois eles gostaram daqueles Akitas misturados com outras raças.

Só que ele é diferente do Akita Inu Japonês, pois parece mais ainda com um ursinho e tem mais variações de cores.

E aqui no Brasil, ele chegou na década de 70 com imigrantes da comunidade de japoneses e também com um criador da raça nessa época.

PROBLEMAS DE SAÚDE COMUNS:

Eles podem ter displasia de quadril, de cotovelo, e doenças relacionadas aos olhos.

Geralmente a raça pode ter problemas hereditários, mas dizem que o canil consegue detectar através de exames, vale perguntar sobre isso quando for visitar um criador.

Além desses problemas, não costumam ter muitos problemas de saúde não.

Mas sempre vale lembrar do geral para todos os cachorros: de manter a higiene dos dentes, orelhas, unhas aparadas e limpar as secreções dos olhos

E de modo geral se você ficar sempre atento à saúde dele e fizer pelo menos um check up bem detalhado uma vez por ano ele vai viver feliz e saudável por longos anos.

Veja mais sobre no vídeo:


Gostou? Compartilhe com os seus amigos!

0 Comments

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *